segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Um rio dentro do rio


Um rio com diversas águas,
correndo de diversas formas,
um rio que separa as suas águas,
um rio que forma, deforma.
Um rio que só olha para o próprio umbigo,
um rio onde os que não são vistos
são os mais percebidos.
Um rio que fere, que mata,
que segrega, que maltrata,
contrastando com um rio que encanta,
um rio de belezas tantas.
Um rio, uma cidade maravilhosa,
que chora um rio de lágrimas
e que se afoga nas próprias,
no próprio descaso.
Um rio que chora um rio,
por ter deixado tantos ao acaso.
Um rio ao léu,
que coloca óculos escuros
e olha o outro rio
por cima de um arranha-céu.
Um rio que quer tanto dizer: Eu rio!
E abrir os braços como o Redentor.
Um rio de sambódromo,
imerso num rio de dor.
Um rio de cartão-postal,
que aponta as suas armas,
que recolhe as suas asas
e se prende no próprio quintal.
Um rio azul de olhos vermelhos,
que não consegue enxergar
o próprio reflexo no espelho.
Um rio que perde o caminho
e segue o seu curso,
sem lei, sem pulso.
Um rio dentro do rio,
que muitos tratam como água e óleo,
mas que, fatalmente, se misturam,
apesar de tantos desvios.


[Que o Rio encontre as suas águas calmas. Que ria o Rio!]






Selo que ganhei da Joyce. Aqui.Obrigada pelo carinho, Joyce!

34 comentários:

  1. É Pérola. Um Rio com rios, segregados, misturados, perdidos.

    Só nos resta rezar, neste momento.

    Beijos moça, linda semana procê.

    ResponderExcluir
  2. "Um rio dentro do rio,
    que muitos tratam como água e óleo,
    mas que, fatalmente, se misturam,
    apesar de tantos desvios."

    Nossa, Pérola, você tocou no fundo, colocou o dedo na ferida. É isso mesmo, podem até fechar os vidros, mas não podem fechar os olhos, trancar as janelas e ficar alheios, porque é um problema de ordem total, todos sofrem, todos, sentem.

    Que o Rio encontre as suas águas calmas e abra os braços como o Redentor!

    Perfeito!

    Abraços, Pérola luz!

    ResponderExcluir
  3. Pérola, teu poema é um retrato do que sinto. Que muitos te leiam. Um rio dentro do rio é a paisagem do que viemos convivendo, híbridas águas de constantes pulsar.

    É temos que descruzar os passos, os versos, os verbos para tratar tantas sangrias... obrigada e parabéns pela Poesia.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Que muitos possam ler e refletir. E olhe como se deve olhar...um rio dentro do rio.

    Kiss

    ResponderExcluir
  5. E é triste pensar nisso... porém, mais triste ainda, é quem vive dentro deste (R)rio.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Um olhar muito lúcido sobre uma realidade por demais óbvia...

    Beijo :)

    ResponderExcluir
  7. Fantástico seu poema!

    A polícia pacificadora está nos morros... mas o desemprego, a fome e a falta de investimento em educação também...

    Abraço

    ResponderExcluir
  8. Rio cidade maravilhosa, que encanta com tantos encantos, que tem o Cristo de braços abertos para nos aconchegar, desejo que um dia [quem sabe] possa tb o Rio com ELE se afagar!

    Beijos pra Ti

    ResponderExcluir
  9. Um rio que chora, muito bem descrito nas tuas linhas soltas, querida.

    Rezemos para que esse pesadelo acabe de vez.

    Beijos enormes, cheios de carinho.

    ℓυηα

    ResponderExcluir
  10. Um rio que chora, que deságua a sua dor, descaso de uma parte que afeta o todo.

    Triste Rio!

    Fantástico poema!

    Beijos e abraços.

    ResponderExcluir
  11. Dois rios que não se separam. Um rio com tantas faces.

    Que tudo acabe bem e tudo fique em paz.

    Um beijo

    ResponderExcluir
  12. Olá Pérola
    Parabéns pelo poema. Demonstra a realidade que muitos não querem ver, um problema que vem se acumulando com o passar do tempo, sem que ninguém se mobilizasse efetivamente. O que acontece hoje é conseguência dos desmandos de muitos anos.
    Bjux

    ResponderExcluir
  13. Versos caminhando pelas ruas deste RIO REAL, governantes foram deixando a poluição com seu rumo dominando até um dia que a água bateu na porta deles e a amante não pode aparecer nas festas de pessoas distintas. Acho que daqui pra frente este tema será protagonista não só no Brasil, China e por ai vai.....

    ResponderExcluir
  14. Que lindoooo Pérola.

    E eu já chorei tanto esses dias, vendo tudo aquilo.
    Deu vontade de cantar Luiz Gonzaga:

    "Eu perguntei, ahhh Deus do Céu, ai, porque tamanha judiação.."..

    E o Rio de Janeiro continua lindooooo!
    Com a benção de Deus. Que a PAZ se faça.

    Pérola, eu te acho uma querida sabia?
    Qdo você me visita, leva junto todas as cores do arco iris.

    Um beijooooooo!!

    ResponderExcluir
  15. Transformar tristeza em poesia.
    Quanta boniteza!!

    Abraço forte, doce Pérola.

    ResponderExcluir
  16. aqui sempre encontro poesia...
    beijos!

    ResponderExcluir
  17. Pérola ,



    Que falar dessa poesia tão bela ?
    Só te digo , como carioca que sou ,
    choro rios pelo meu Rio ...



    BjO Grande !

    ResponderExcluir
  18. Enxergar poesia no cotidiano, aos arredores da vida, é um dom raro.

    Parabéns pela sensibilidade e poesia que há em ti, Pérola.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  19. A duplicidade do rio está na poluição das suas águas que não nos deixam fruir as belezas ou tristezas do seu leito, em sua corrida feliz para o poema da sua foz.
    Jorge Manuel Brasil Mesquita
    Lisboa, 30/11/2010

    ResponderExcluir
  20. Pérola querida,

    sua poesia é belíssima, contestadora e causa até arrepio, fechou com chave de ouro!

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  21. "Um rio que perde o caminho
    e segue o seu curso,
    sem lei, sem pulso.
    Um rio dentro do rio,
    que muitos tratam como água e óleo,
    mas que, fatalmente, se misturam,
    apesar de tantos desvios".

    Magnífico!

    ResponderExcluir
  22. Que o Rio e o Brasil reencontrem a paz, que deve partir de cada um de nós.
    beijos

    ResponderExcluir
  23. "Um rio de cartão-postal,
    que aponta as suas armas,
    que recolhe as suas asas
    e se prende no próprio quintal."

    Simplesmente perfeito, Pérola!

    Tão triste e tão perfeito!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  24. um beijo para o Rio.
    Lindo, só fui uma vez, assim de passagem.
    Bj, Pérola :*

    ResponderExcluir
  25. teu olhar estrangeiro revela esta "cidade de cidades misturadas".

    Um beijo. Gosto demais de você.

    ResponderExcluir
  26. não sei se já disse, mas teu baú (lembra dele?) logo, logo será aberto.

    ResponderExcluir
  27. Amei o poema!!! Lindoooooooooo....


    Beijos!
    AL

    ResponderExcluir
  28. Estremeci e me emocionei ao ler o seu poema lindo.

    ResponderExcluir
  29. Pérola, você é uma estrelinha!
    tem o dom de transformar as coisas,
    uma preciosidade te achar pela net,
    não largo mais!

    Espero que dessa vez seja pra valer, a coisa lá no Rio.

    Beijos, moça bonita.

    ResponderExcluir
  30. Pérola, que adoro


    Te ler ,reler, sempre deixa tudo mais belo ...



    Bjo e um Dia Lindo !

    ResponderExcluir
  31. Lindaaaaaaaaaaaaaaaaa!!


    Um beijo!

    ResponderExcluir
  32. Enquanto a violência, a força bruta, as formas de repreensão operarem, valerem mais do que investimentos em educação, saúde, projetos de inclusão; enquanto não se olhar para a base; enquanto houver a segregação e nada for feito para mudar, esta guerra civil só tende a crescer, a explodir em cada esquina do nosso país, do mundo.

    Obrigada por cada comentário, pelos sentimentos expostos sobre esta triste realidade que assola o nosso país, por cada desejo de salvação e libertação e por cada palavra de carinho e afeto!

    Beijos a todos!

    ResponderExcluir

Solte suas linhas!

Postagens Recentes Postagens Antigas Inicio