terça-feira, 26 de abril de 2016

Barro Preto






terça-feira, 8 de março de 2016

Dia de Maria




Hoje é dia de Maria
E Maria carrega no peito o amor
E carrega no ventre a vida
E embala a vida nos braços
Maria tem braço forte
E sua força vem da sua sensibilidade
Das suas dores e glórias
Hoje é dia de Maria
Maria de dores, 
Maria de glórias
Maria de amparos,
 Maria de vitórias
Maria de encantos por todos os cantos
Pois Maria é, verdadeiramente, encantadora
Seja com um salto nos pés,
 seja com calos nas mãos
A beleza de Maria sobressai
Porque Maria é dona de várias belezas
As que podem ver vistas
 com os olhos da face
E as que apenas podem ser sentidas
Pelos olhos de dentro
Estas, as mais belas
Hoje é dia de Maria
E Maria traz em si várias rimas
Maria rima com sintonia
com sinfonia, com maestria
Maria rima com alegria
com magia, com poesia
Mas Maria não rima com sublime
E Maria não rima com magnífica

Mas existem rimas 
que não são necessárias.







domingo, 30 de agosto de 2015

A Voz de Maria




(para Maria Bethânia)


A voz do tempo e tempestade
Dos ventos e ventania
Voz Maria!
A voz do mar, quando agitado
Calmo ou em maresia
Voz Maria!
A voz da terra que me sustenta
E da minha terra Bahia
Voz Maria!
A voz que canta e me encanta
Arrepia , contagia
Traz paz, inquietude
Contemplação, melancolia
Plenitude, alegria

A voz que carrega em si
As entranhas da poesia
Tua voz, Bethânia!
Tua voz, Maria!
Beleza, força e magia







Em estado de encantamento, é assim que me sinto. Hoje me sinto mais rica, pois um espetáculo como este enriquece a alma. Não sei definir com palavras e, ainda que eu usasse todas elas, ainda seria insuficiente para definir toda a emoção que senti. As lágrimas desciam sem eu nem perceber, como se brotassem mesmo da alma, os arrepios chegavam e permaneciam, fiquei quase todo o tempo arrepiada. Contemplação. Hipnotizada eu fiquei, sentindo da forma mais profunda cada nota, cada tom, cada milímetro de magia, beleza e força que exalam da sua voz. A mais linda voz! E ainda tive a honra de lhe dar um abraço e entregar em suas mãos esta poesia que fiz, especialmente em sua homenagem, como uma forma de lhe abraçar e agradecer por todo o encanto que ela provoca em mim. E ela pôs a mão no peito e me disse olhando nos olhos: “Obrigada. Muito obrigada”. Obrigada, Bethânia!  Minha diva. Estrela maior. Parabéns pelos lindos 50 anos de carreira e vida longa!

Maria Bethânia – Abraçar e Agradecer – Espetáculo comemorativo aos 50 anos de carreira
Teatro Castro Alves – Salvador/Ba - 29/08/2015


segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Uma questão de Cor






Não é essa a questão
não é apenas uma questão de pele
é uma questão de cor
uma cor marcada pela história
que teve a sua dor ignorada
o seu brilho ofuscado
pelos gritos e abandono
Uma questão de cor
uma cor carregada de força e beleza
a beleza mais pura
a mais rica
uma cor que foi banida, excluída
condenada apenas por ser
e pagou todas as penas
e sofreu todas as lástimas
apenas pelo tom da África
em sua essência
Uma questão de cor
que fortaleceu a sua raiz
e nunca deixou a mãe África
deixar de correr no seu sangue
apesar das dores
apesar do sangue derramado
e das lágrimas que corriam
corroendo por dentro
Muito além de uma questão de pele
uma questão de cor
a minha linda cor negra
de força, brilho e riqueza
Uma questão de cor
e só quem sente na pele
é que sabe as dores e glórias
de carregar na pele
a cor da África

[a nossa vitória virá]







Imagem: Pérola Anjos por Marcus Socco, para o trabalho autoral Linda e Preta



quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Sentimentos Férteis


video

Que as esperanças renovem-se,
 afinal de contas,
esperanças não criam rugas.
Que a poeira que ficou acumulada lá no canto,
deixando cinza o brilho no olhar,
encontre o lápis de cor perdido há tanto tempo.
O jeito de pintar eu sei que ainda existe,
essa vontade de que tudo dê certo
daqui pra frente não muda,
é como andar de bicicleta.
Não adianta, por mais que a gente esconda isso,
 sempre faz aquele mantra à meia-noite:
Eu quero ser mais feliz,
 eu quero mais amor,
eu quero mais paz,
eu quero bis,
eu quero uma borracha...
Sei lá, mas todo mundo pede alguma coisa,
ainda que seja em silêncio,
 ainda que seja fingindo pra si mesmo
 que não está pedindo nada,
 que isso é uma bobagem sem tamanho.
Pedir felicidade nunca é demais
e isso não torna ninguém maior ou menor
 dentro das suas convicções e posições.
 A felicidade é um bicho esquisito e alado,
e também a esperança,
quando achamos que se foram,
elas ressurgem como fênix,
depois voam e voam e voam mais,
mas elas voltam, voltam sim,
ainda que se percam pelos ares,
elas voltam e pousam em nós,
ainda que tenham pressa de partir para o infinito.
E a felicidade vive bordada em forma de levezas
 espalhadas por nossos caminhos.
É aquela força inexplicável que vem das entranhas
e vai subindo dos pés à cabeça
 e faz de um simples segundo de um ano para o outro,
uma explosão de sentimentos férteis.










domingo, 23 de novembro de 2014

A Minha Cor Não Nega







O meu cabelo não nega
Não nega a minha cor
O meu nariz não nega
Não nega a minha cor
Os meus lábios grossos não negam
Não negam a minha cor
O brilho dos meus olhos não nega
Não nega
Não, nega
Não deixe que te neguem
Não te renegues
Não te negues nunca mais






A dor que trago marcada na pele
Não nega a minha cor
Foi essa dor que me fez tão forte
As minhas lágrimas viraram luta
Para deixar de ser escravizada
por teu preconceito voraz
Para deixar de ser diminuída
Por teus atos racistas
As minhas mãos calejadas
não negam a minha luta
e a minha força para lutar
Não nega a minha cor
As minhas costas, antes arqueadas
Estão cada vez mais erguidas
Assim como a minha cabeça

A nossa beleza sublime
Não nega a nossa cor
Somos belos, tão belos
E a nossa imensa beleza
foi por tanto tempo negada
ofuscada dentro de padrões
tão hipócritas e superficiais
quanto os seus ditadores

Mas as vendas que puseram
em nossos olhos
que nos impediam de ver
a magnitude da beleza
do nosso cabelo crespo,
dos nossos lábios grossos
dos nossos belos traços,
da nossa negra cor
foram abolidas
e agora, que nos vemos
pelos nossos olhos,
pela nossa alma, pela nossa essência
enxergamos o quanto somos lindos
o nosso espelho reflete isso
e seremos espelhos para os nossos

As minhas raízes ancestrais
Não negam a minha cor
Este sangue africano
Que corre em minhas veias
Que me faz guerreira
E a minha raiz é tão forte
que, mesmo com todos me dizendo não,
eu me disse sim
e a partir de então
mesmo sem o mundo
querer me aceitar
eu me aceitei
como realmente sou
negra beleza de força e valor

Trago bordada na pele
A grandeza de uma história
composta de dores, lutas e glórias
e a minha gana, a minha garra,
a riqueza estampada em mim 
Não negam a minha cor






quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Manoel de Barros - O meu poeta amado

Poesia é descobrir mundos,
descobrir-se pelas coisas desimportantes da vida
(azul revelado pelos pássaros)
Perceber coisas raras nos despropósitos
(uma solidão que anda na parede)
Camuflar dores, descobrir sorrisos nos olhares,
expelir arrepios intensos guardados 
no mais secreto do ser, de cada ser
Um ser sem ter sido, um voltar sem ter ido
(Canto de pássaros num silêncio que grita)
[De Pérola Para meu amado Manoel]

“É no ínfimo que eu vejo a exuberância”

“Um fim de mar colore os horizontes”

“A minhoca é uma solidão que anda na parede”

“Só quem está em estado de palavra pode
enxergar as coisas sem feitio”

“Deixei uma ave me amanhecer”

“Sol, s.m.
Quem tira a roupa da manhã e acende o mar”

“Tudo que eu não invento é falso”

“Poesia é voar fora da asa”

“A reta é uma curva que não sonha"

“Que a importância de uma coisa há que ser medida pelo encantamento que a coisa produza em nós”

"Eu sei dizer sem pudor que o escuro me ilumina”

"Quando as aves falam com as pedras e as rãs com as águas - é de poesia que estão falando"

“Tem gente que nasce poesia”

"Andando devagar eu atraso o final do dia"

"O que eu não sei fazer desmancho em frases. Eu fiz o nada aparecer"

"Os passarinhos se molhavam de vermelho na manhã"

"Me explica por que um olhar de piedade cravado na condição humana
não brilha mais que um anúncio luminoso?"

“Poeta é um ente que lambe as palavras e depois se alucina”

“A palavra amor anda vazia. Não tem gente dentro dela”

“A voz de um passarinho me recita”

"As palavras mais faceiras gostam de inventar travessuras. Uma delas propôs que ficássemos de horizonte para os pássaros. E os pássaros voariam sobre nosso azul. Eu tentei me horizontar"

“Me procurei a vida inteira e não me achei — pelo que fui salvo”

"Tenho candor por bobagens. Quando eu crescer eu vou ficar criança"

"O corpo do rio prateia quando a lua se abre"

"No meu morrer tem uma dor de árvore"

“Você vai encher os vazios com as suas peraltagens e algumas pessoas vão te amar por seus despropósitos”


Estas palavras simples, ricas e tão belas são de Manoel de Barros, um dos meus poetas preferidos, fonte de inspiração, suspiros, risos, encantos... Aprendi a amar o Manoel pelas “iluminuras” de suas palavras, eu lia e ouvia o canto dos pássaros que voavam em comunhão, via o desabrochar das flores, sentia a brisa da manhã voando em meus cabelos. E me encantava e me encantava mais...

Adeus, Poeta! A tua poesia estará eternamente viva em mim! E sempre que eu ouvir o canto dos pássaros sentirei um novo poema teu amanhecer.








Postagens Antigas Inicio